27 de janeiro de 2013

Tragédia em Santa Maria: meus pêsames eternos!



"Lembro me bem do quanto nos preparamos para esta noite, compramos roupas, escolhemos o sapato e a maquiagem a qual iríamos usar. Sábado,  dia 27 de janeiro do ano de 2013, chegamos a boate Kiss em Santa Maria, um lugar bastante frequentado, e buscamos ficar perto do palco para melhor apreciar a banda, encontramos nossos colegas e amigos e as horas seguiram sem parar enquanto conversávamos, bebíamos e caíamos na risada, como o costume. Mas algo chamou minha atenção às duas horas e meia da madrugada, um membro da banda buscando divertir seu público acende um sinalizador com a certeza de que nada daria errado. Vejo uma lasca no teto com o início de algumas faíscas de fogo, logo o vejo dominando parte daquele canto e depois o ambiente todo. O tempo praticamente para e tudo anda em câmera lenta. Em fração de segundos, sem saber o que pensar olho para meus companheiros vejo os olhos brilhantes e o sorriso estampado em cada rosto, levanto-me e peço com calma para que fossemos embora, não querendo assustá-los e causar tumulto, coisa que seria impossível numa situação como aquela que estava prestes a inciar-se.  Com esperanças de salvá-los, insisto mais uma vez e na última tentativa,  assustada, grito apontando para o desastre. Agora não vejo mais sorrisos e brilho nos olhos deles, em troca vejo a expressão de espanto, as pupilas dilatas, o corpo tremulo e em um segundo me encontro parada sem nenhum deles ao meu lado mais. Meus amigos sumiram, cada um tentou se salvar como conseguiu, não sei se estão bem, se estão vivos. Corro em busca da minha vida, agora há pessoas desesperadas por todos os lados. Vou em direção a porta de saída pois não encontro uma saída de emergência. Sou barrada por seguranças pedindo o pagamento da comanda, inútil! Pessoas estavam morrendo ao meu lado e cobranças estavam sendo feitas. Corro em direção ao banheiro e vejo a fumaça preenchendo todos os cantos daquela boate. Tranco a respiração como forma de sobrevivência. Não sei mais para onde ir, estou trancada e com passagem só de ida para a morte. Corpos aflitos buscam ajuda. Pessoas desmaiam ao meu lado. O fogo se manifesta cada vez mais. Vou até a porta de saída, a mesma de antes, a mesma que eu entrei para passar uma noite divertida. Está trancada, encosto-me na parede e ali tento me proteger. Fecho os olhos e imagino como se fosse a última cena que veria. Adormeço. Sou tirada pra fora com um puxão, ouço pessoas dizendo que estou morta, ouço pessoas chorando, ouço pessoas gritando... o desespero predomina. Não há forças para abrir os olhos, mas ainda consigo pensar nos momentos anteriores a tragédia, ainda consigo pensar na dor que causarei aos meus pais, aos meus amigos e conhecidos. Em tom quase mudo pronuncio rouca um eu te amo para as pessoas que me colocaram no mundo e que jamais pensariam que depois de vinte anos perderiam a sua menininha numa noite inesperada. Consigo mexer o braço que pousava no meu peito com o celular preso as mãos, abro os olhos lentamente e vejo inúmeras chamadas perdidas e mensagens, uma lágrima escorre em forma de desculpas. Não identifiquei de quem eram pois aquela foi a última visão do mundo que tive. Um suspiro, o último e adormeço, para sempre."

Texto fictício criado por mim em relação a terrível tragédia que aconteceu hoje em Santa Maria. Meus sinceros pêsames a todos os familiares que encontram-se aflitos e em desespero por perderem jóias raras em suas vidas. Estou de luto como o Rio Grande do Sul e o mundo inteiro está. Sinto-me mal pelo simples fato de saber que 245 pessoas perderam a vida nesta madrugada e outras estão com sintomas graves em hospitais da região. Me coloco no lugar de cada vítima, cada pai, cada mãe, cada familiar e amigo. E acabo morrendo junto de alguma forma com cada um. Não estava lá, não conheço ao menos uma pessoa que estava mas me sinto como se estive presenciado tudo. Não há palavras para um desastre como esse. Eu apenas desejo que cada um que hoje encontrou a Deus olhe por nós e abençoe todas as famílias envolvidas e as pessoas que encontram-se em recuperação. Meus sinceros argumentos de consolo à todos que de alguma forma estão envolvidos nesta tragédia. Que Deus abençoe a todos, sempre! Amém.

-Gabrielle Roveda

2 comentários:

  1. Eu estou muito triste por tantas pessoas que não tinha m cumprido nem metade da vida, se foram muito jovens e sem ter vivido nada que lhes tinha direito :(

    http://peoplecrazystipoeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sou do sul, isso realmente mexeu comigo. Fiquei muito comovida por saber que amigos e conhecidos encerraram suas vidas naquela noite. ;s

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...