30 de março de 2013

Blinde a dor



Sempre fiz-me de forte, criei uma roupa, uma fantasia onde eu era como aço, como pedra imune ou até mesmo como o moderno vidro blindado. Mas não sou realmente o que demonstro ser. Não sou o vidro blindado e inquebrável,  sou o vidro frágil que com um tom mais agudo se parte ou simplesmente se quebra. Sou remoída a cacos insolentes e desnecessários ao abismo. Sou descartável e trocável, há diversas peças de vidro como eu. Mas nenhuma substituível construída no mesmo instante, no mesmo segundo, dia e ano. Sou peça única. Que destruída uma vez, por mais que haja um concerto nunca mais se tornará a mesma. Cada rachadura nessa frágil peça se torna um local frio e escuro, mas cada ato de concerto a faz se tornar uma peça um pouco mais valiosa e importante. O mundo muda a todo momento, as pessoas crescem a cada milésimo de segundo, o tempo se transforma, pouco a pouco tudo envelhece, algo se renova, algo nasce. Somos isso, um ciclo crescente de decepções e medos, de amores, de nascimento e mortalidades e de diversas outras palavras. Tudo se inova, tudo cresce, tudo nasce, tudo acontece. Sou só mais uma peça incluída na sociedade com o objetivo de viver até o momento em que a última palavra e ponto final do livro acabe, o livro se feche e seja colocado na estante até sumir com a poeira. Por isso, tento ao máximo fazer com que cada momento, não importa se é destino ou o que for, valha a pena, sei que não há como voltar atrás e mudar tudo. Que eu saiba ainda não inventaram uma máquina do tempo! E de qualquer forma, cada instante tem que valer a pena, cada momento foi escrito pelas mãos do autor que te colocou num teatro de aberrações inconstantes e que faz com que você ganhe força a cada etapa ruim, a cada muro que tem de ultrapassar. Seja a marionete inerte a rachaduras, não se torne o vidro frágil, se blinde à dor. Eu estou aprendendo a me proteger dessa guerra de balas rápidas com nome de diversos sentimentos ruis. Deixo apenas que as rosas, belas rosas compostas por belos sentimentos ultrapassem o vidro blindado em que me tornei.

- Gabrielle Roveda

10 comentários:

  1. Que lindo!Lindas palavras em forma de sentimento amei!
    http://blogadolescentequalquer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Adoreii o textoo florr mtboom
    tem texto novo no blog www.cantinhodanina19.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Lindo o texto, você escreve muito bem.
    Estou seguindo, dá uma olhada no meu blog e se gostar segue de volta. :
    http://outonosdehortela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus, que texto lindo. Eu me emocionei de verdade lendo!
    Queria poder fazer essa blindagem em mim, mas é muito difícil..

    Beeijos e respondi a sua tag! Está lá no blog já, beeeijos!

    http://primasxavier.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada flor, mesmo *-* As vezes nem eu consigo..

      Excluir
  5. Nossa que lindo o seu texto, até me identifiquei com ele, muito lindo mesmo! *w*


    http://criatividadeamil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...