14 de maio de 2013

Leio ou não?: O Vale das Borboletas - Amanda Vieira


Autor:  Amanda Vieira
Editora: Dracaena
Gênero: Romance 
Páginas: 256 páginas
Nota: ✰✰✰

Confesso logo de início que foi a segunda obra brasileira que li, já havia tentado várias de autores conhecidos a séculos que se tornaram ícones na literatura, porém abandonei-as. Ao me deparar com uma capa atraente e um nome marcante no site Skoob, resolvi de imediato ler a sinopse do livro que chamou minha atenção e foi aí que aquele gostinho de quero mais aguçou minha mente. Atrasei a leitura de outros livros que estavam à meu aguardo e então comecei a ler o misterioso romance fruto da imaginação da Amanda. A história começa realmente quando Maria Luísa, ou Isa como preferia, recebe a notícia de que Heitor, seu primo implicante, se mudaria para Crisálida, pequena cidade no interior de Minas Gerais. O modo como os dois se encontraram pela primeira vez foi tão gostoso de imaginar e saber que dali surgiu uma paixão que de começo era proibida. Heitor morava em São Paulo com seu pai Luiz, entretanto, se viu obrigado a mudar-se para uma cidade menor depois de algumas situações amedrontadoras que aviam lhe acontecido. Ele carregava consigo um colar com a foto de uma moça, muito bonita que ganhara quando criança, e ao  buscar desvendar de onde o colar surgiu se viu mais envolvido do que pretendia em uma história aterrorizante que comprometeria as pessoas que ama e a revelação de segredos que jamais imaginava. Isa, ao saber que se apaixonara por um garoto que além de misterioso era seu primo se viu sem saída. A história tem como local principal de acontecimentos marcantes o Vale das Borboletas, onde a descoberta dos segredos que prendem o raciocínio à leitura nos levam ao descobrimento de situações que não passariam em nossa cabeça, lugar onde o romance do casal separado por um suposto parentesco flui instantaneamente e local onde as cenas amedrontadoras acontecem. Gabi e Cíntia são as melhores amigas de Isa e se unem juntamente com Heitor e as piores inimigas, Nicole e Suzana, na descoberta do maior segredo que queremos que seja revelado ao decorrer da leitura, que de certo modo, surpreendente. O final, é feliz. Apesar de todos os conflitos que surgem o fim do arco-íris é encontrado. Ao meu ver, a autora com sua primeira obra, trouxe um mundo mais juvenil e de leitura fácil ao público alvo, o que garante que o leitor fixe bem o enredo. Amanda conseguiu mudar meu conceito sobre o que é vindo daqui e fez-me imaginar uma história que ocorria praticamente ao lado, além da vontade que fiquei de conhecer o tal vale e poder relembrar a história fictícia em algum momento. Acho que há prioridades em ler algo que, por mais fictício que seja, esteja ao nosso alcance de conhecer de perto. Um ponto negativo no livro, foi de maior responsabilidade da editora, que não deu a correção necessária à obra. Faltou pontuação ou por vezes havia muita e dificultava no decorrer da leitura, e havia algumas palavras escritas de forma errada. Mas, creio que na próxima edição do mesmo isso será corrigido. No mais, a obra não havia me surpreendido até sua metade por ser uma situação bastante voltada à adolescentes e um pouco infantil, porém, ao decorrer mudei totalmente meus conceitos, principalmente quando o romance deles teve o ênfase necessário e os fatos começaram a ser solucionados. 


Sinopse (via Saraiva):

Quando Heitor se muda para Crisálida, depois de escapar de perseguições enigmáticas em São Paulo, a vida de Maria Luisa também é afetada de forma inesperada. Isa, como ela prefere ser chamada, acaba por se envolver pelo seu misterioso primo que passa a frequentar a mesma escola onde estuda. Um amor de tirar o fôlego, uma aventura impressionante, cercada pelos mistérios do desaparecimento da fortuna de um pintor de borboletas. Ele tenta protegê-la, ela coloca a sua vida em risco, uma perigosa paixão com um final que somente um detetive sagaz poderia imaginar. Isa decide então confrontar o seu perseguidor, sozinha, com o coração na garganta e um tesouro em mãos. Do alto do morro do Vale das Borboletas ninguém poderá escutar o seu grito de socorro.


Trecho do livro:
Isa
(...) eu continuei andando sem ao certo para onde deveria ir, ninguém notou minha ausência, Lúcia neste momento era o centro de toda a atenção. Eu queria gritar, queria correr, mas sabia que era a vida de quem eu mais amava que estava em perigo, então congelei meu sofrimento e fui em direção ao meu insano inimigo. (...)
Heitor
(...) aquela sombra negra parecia persegui-la, ela ja tinha escapado da morte em outras ocasiões  mas o silêncio que a cercava não era nem um pouco animador. Então tentei prender a esperança dentro de mim, como na caixa de Pandora, e cortei a água com a força que usaria para quebrar um concreto. (...)
Isa
(...) Eu fechei osolhos tentando não perder nenhum detalhe a maravilhosa sensação que invadia minha boca, percorrendo c omo um relâmpago todo o meu corpo entregue ao seu abraço, e sabia que assim como as borboletas do vale, ele também nunca me deixaria. (...)


4 comentários:

  1. Amei flor,fiquem interessada em ler!

    garotaunica10.blogspot.com.br

    www.youtube.com/user/GarotaUnicaBlog?feature=mhee

    Beijuux PINK!

    ResponderExcluir
  2. uau! adorei sua resenha e fiquei morrendo de vontade de ler *-*
    já está na minha lista de desejos!!

    beijos beijos e uma boa semana
    http://manualdosvinte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Gabrielle!
    Passando para agradecer a ótima resenha que você fez
    do meu livro. Fico muito feliz com esse retorno positivo,
    e adorei a foto com a correntinha que você postou :))))
    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Se não me prende até a metade da leitura eu não consigo terminar de ler..
    Parabéns pela resenha..

    Curta!
    http://www.facebook.com/pages/BLOG-Angel-Poubel/593476004003339?ref=hl

    Big bj ;*
    http://www.angelpoubel.com/

    ResponderExcluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...