15 de julho de 2013

Pensamentos de uma garota que não teve oportunidade de mudar o hoje. (conto)


"Meu olhar se encontra com o céu azul ao meu redor, frente ao mar. No horizonte os dois se unem e nisso um degradê azulado se forma.  Parecem um só ser, um universo paralelo e cheio de porquês. Penso no que pode haver além de meu círculo de vida rotineiro e surgem mais dúvidas. Estar aqui nessa areia macia, fina e quase branca é uma sensação única e, muitos mal percebem o seu significado. Um momento simples e imperceptível aos olhos de muitos, mas hoje, aqui sentada com o pensamento distante, vejo o quão especial isso pode ser.  Passei minha vida inteira, embora não seja muito longa até agora, me preocupando com tudo, com os estudos, com a aparência, com o que faria no outro dia e como consequência nunca prestei tanta atenção nos pequenos detalhes. Observando as pessoas por um breve tempo, encontro em seus olhares preocupação, o que é comum na vida humana. As pessoas se satisfazem com o supérfluo, mas nunca buscam olhar o simples. Daqui, da minha duna, vejo um casal caminhando abraçado ao longo da beira do mar, eles sorriem e contemplam o momento, se abraçam e volta e meia um tenta jogar o outro para dentro d'água. Sabe, ver isso faz quase lágrimas rolarem em meu rosto. É apenas um exemplo, porém, isso é saber valorizar a vida, isso é reconhecer os momentos e saber aproveitá-los. Afinal, o que levamos daqui? Estamos num ciclo de vida e morte, e nesse intervalo precisamos buscar ser feliz. Esse é o nosso momento, o agora. Não sabemos o que o amanhã nos promete. O motivo de ter vindo pra cá, sozinha, foi por uma briga. E agora, parada e pensando enxergo o quão fútil ela foi. Ouço o assovio doce de um canário passar por perto e o vejo ir embora junto aos outros pássaros. Meus pensamentos voam livres, assim como a ave, ao encontro de outros. Quero me desculpar, quero poder sentir o prazer e contemplamento do pedido de desculpas ao me encontrar novamente com quem guarda mágoas por minhas palavras e atitudes. Somente uma coisa me impede de correr atrás do que quero, o agora. Levanto-me, limpo a areia do meu vestido e corro até a travessia que liga a praia à cidade. E aqui, nesse instante, foi o meu último momento de passagem nesse ciclo. As cortinas fecharam-se para mim, agora."

- Gabrielle Roveda

4 comentários:

  1. Nossa, Gabi *-* Amei o texto!!! Beijos,

    http://garotaestranhameumundo.blogspot.com
    http://mundoteenxd.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo! *-*
    Adorei o título! De fato, fazemos com que nossas vidas fiquem tão corridas, tão cheias de compromissos, preocupações, que não damos valor as pequenas felicidades e aos pequenos momentos especiais, e depois reclamamos que não somos felizes .
    Muito bom o texto, parabéns!! Beijoocas :*

    http://meuuniversox.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Pois é Luh, texto lindo mesmo...
    Super talentosa a Gbi ⌒.⌒
    beijos , amei o seu texto linda!
    leehlivros.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...