23 de janeiro de 2014

Essa garota difícil pode ser um pouco incrível


Ela nem sempre andava sorrindo, as vezes ficava séria e com a cara amarrada fazendo bico. Caminhava sem rumo e se perdia a cada esquina, era tão confusa que nem a si entendia. Estava sempre com algum livro em baixo do braço, levava consigo um mundo diferente a cada passo. Volta e meia haviam fones de ouvido pendurados, a música no volume máximo e ao ar livre sem a preocupação de ser escutada desafinava alto. Entre um desafio e outro sabia remendar, a poça de água na calçada aumentava sua vontade de saltar e de dançar. O que era visto como dificuldade servia também para curar. Aquela garota nem sempre foi assim, a vida já lhe torturou muitas vezes e há outras tantas contas para acertarem frente a frente. Entretanto seu sorriso cativava, algo naquele olhar servia como arma e na defensiva a colocava. Ela sabe superar, vence seus obstáculos sem nem mesmo tentar. Não se engana, não. Ela também chora escondida no canto do banheiro, passa noites acordadas e grita no travesseiro. A vida não é fácil para ninguém, seja ela princesa ou plebeia, afinal conhecemos a história da humilde Cinderela. Ela arruma a mala todas as manhãs e se prepara para a viagem com longo percurso, são vinte e quatro horas de pouco desuso. Encara o espelho, arruma o cabelo e diz a si mesma que aquele é o seu dia, não haverá outro igual então saí para fazer algo banal. Depois de pensar e recriar histórias, a coragem lhe persegue e o carinha, dono dos seus pensamentos, resolve atender seus tormentos. Ao falar "alô" ela logo desliga e continua na sina de um dia poder responder de forma mais amiga. Ela tem paixões, ela tem segredos, manias e muitos medos. É uma garota de fases, Raimundos conhece bem, mas também se encaixa na cena do filme besta de um zé-ninguém. Perfeição pode ser sua busca porém nem um regular lhe encaixa tão bem. Ela é confusa e consegue confundir todos ao redor, só convive com essa garota quem realmente não espera o melhor. Vai xingar, vai gritar e espernear quando a raiva, ou a TPM, chegar. Serve um café ou chocolate quente que a fera vai acalmar. Depois joga um cobertor no sofá, sintoniza num filme legal, chega pertinho e faz um cafuné ou uma cóceguinha no pé. Garanto, ela vai se apaixonar e de você não vai querer se afastar. No final, apesar de tudo ou talvez, por causa de tudo, essa garota difícil pode ser um pouco incrível.

- Gabrielle Roveda

3 comentários:

  1. lindo texto ;)

    bjs
    http://blogvidinhaminha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é bonito demais! marialuizarc.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gente, me reconheci nesse texto. Sério mesmo *--*
    Parabéns pela sua escrita; ela é muito gostosa mesmo, fluí muito bem :D
    Parece o que eu escrevia quanto tinha quinze anos. Senti-a me exatamente desse jeito, me descrevia assim mesmo.
    Uma única crítica, me desculpe se eu parecer chata, não é minha intenção - escreve-se viagem. Viajem, apenas quando for conjugar o verbo viajar, terceira pessoa do plural no presente do subjuntivo. Mas eu também vivo cometendo erros assim. Vivendo e aprendendo. De resto, seu texto está divino. Mais uma vez, parabéns.

    Beijos, Luu
    http://degradeinvisivel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...