19 de agosto de 2015

[642 coisas] Quando deixei você ir

Juro que não gosto de lembrar de momentos ruins, mas o que faz meu pensamento viajar dentre as lembranças e chegar exatamente naquele início de tarde é justamente o fato de que não é uma lembrança ruim por completa. Há dois anos atrás eu era uma pessoa diferente, ontem mesmo já mudei horrores em relação à hoje. Não posso me culpar e me arrepender dos atos que cometi, das decisões que tomei, mas saiba que aquele dia foi um dos mais verdadeiros que passei. A conversa foi ficando mais densa, o coração foi apertando, como sempre é quando se quer dar um ponto final à algo. Não seria diferente. Eu, mesmo naquela época, não entendia muito bem o que me fazia querer tomar uma decisão que nem decidida completamente dentro de mim estava. Ansiedade crônica? Poderia ter trocado por alguns chocolates, eu tinha na bolsa umas barrinhas de cereais de morango, iriam fazer bem. Não que eu vá me lamentar depois das circunstâncias tomadas, mas aquele seu olhar lacrimejante me fez fraquejar e esquecer um pouco de doces. 

Me pus em pose firme, eu teria de ser forte já que pretendia definir um novo plano para minha vida. Mal sabia eu que um dia iria aprender a sentir falta, mas aprendi. É, aquela menina que não se preocupava muito com o amor alheio aprendeu que o amor de verdade trás toda a dor que Shakespeare anuncia em seus escritos. A garota tola e quase fria descobriu que pior do que a saudade definida para acabar é aquela que resolve permanecer por tempo indefinido. Ver o seu sorriso despontando em questão de palavras fez meu coração partir ao meio, mas eu não me importaria com o meu coração partido enquanto o seu se quebrava em mais pedaços. Eu senti aquela vontade imensa de te encaixar no meu abraço e dizer que estava tudo bem, que era só mais um surto momentâneo e sem noção meu. Mas eu fui firme, como disse que seria. Segurei o meu abraço, segurei minha vontade louca de acabar aquela conversa tensa enrolada nas tuas cobertas e nos teus braços. Eu precisava ser dura comigo mesma para conseguir ser um pouco só decidida. E eu fui. E eu fiz o que não estava tão decidido assim. E eu errei. E eu senti falta no momento em que meus lábios pronunciaram o fim. E eu chorei. E eu fraquejei junto contigo. 

Fecho os olhos e enxergo o seu sorriso triste mostrando o quão agradecido estava por tudo o que tínhamos passado, pela história que pôde viver e ao mesmo tempo a curvatura enegrecida de não conseguir aceitar que uma hora se acorda dos melhores sonhos. Meu coração se partiu naquele momento um pouco mais e o seu sumia em estilhaços. Quis juntar cada pedacinho que quebrei, quis juntar a essência do nosso amor que joguei ao ar. Eu não podia. Eu não podia porque não queria e ao mesmo tempo queria. E brigar comigo mesma era sair perdendo de algum lado. Eu sai perdendo de vez para o lado das escolhas ruins, porque você bem sabe que quando eu escolhia você como cúmplice das minhas decisões sempre me dei muito bem. Mas eu abandonei você, joguei nossa história no lixo das ilusões. 

E sabe, lembro quando disse que eu precisava ir embora e que no mesmo segundo já estava em seus braços novamente. Lembro da sensação gostosa que nunca mais se dissipou e do quanto quis morar naquele abraço, do quanto abri meus olhos com a segurança que você, um simples garoto, me passava. E poderiam passar horas, eu poderia ver o sol descer para o outro lado do planeta e a lua surgir em todos os seus ciclos por milhares de vezes, eu não queria me desgrudar de você. Não queria me desvencilhar do seu beijo calmo e apaixonado. Seu jeito de me tirar do mundo por segundos e minha insistência, naquele momento, de querer ficar e ao mesmo tempo ir embora. A última coisa que não esqueço é você seguindo o caminho contrário e de segundo em segundo cruzarmos os olhares ao virar a cabeça até nos perdemos de vista. 

** Texto inspirado no tema 150 - Descreva um momento guardado em sua mente em detalhes, e escreva o motivo de lembrar-se dele - do desafio 642 Coisas Sobre as Quais Escrever.**

2 comentários:

  1. Sobre estar chorando com o seu texto, não legal.
    Puts, juro que seu texto veio de encontro com uma conversa antiga.
    Só posso dizer que doeu lá no fundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não queria te fazer chorar :(
      Desculpinha flor ♥

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...