13 de outubro de 2015

Leio ou não?: A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

Autor: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance
Páginas: 285 páginas.
Nota: ✰✰✰✰

Primeiro deixa eu constar que sou apaixonada por livros com temáticas fortes, mas A Playlist de Hayden, apesar de se tratar de um suicídio trás uma leveza inquietante. Sam é o personagem que narra a história exatamente do seu ponto de vista por completo, ou seja, quando não sabe de algo nós também não saberemos e isso deixa tudo mais intrigante num caso de suicídio do seu melhor amigo, com pessoas que você jamais pensou que ele conhecia e iria conhecer ou com garotas, no caso de Hayden e Sam, não se pensava em garotas. Eis que Hayden poderia estar enganado? 
"Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê."
Voltemos ao início, Hayden entra num conflito de vida que não comenta com ninguém, nem com Sam, seu melhor amigo e resolve se suicidar deixando para trás apenas uma playlist com algumas músicas e um bilhete dizendo para ele escutar pois iria entender. Pois bem, Sam escuta a playlist milhares de vezes e não consegue compreender o que as músicas querem passar, até que surgem novas pessoas cheias de segredos que o ajudam a entender, inclusive alguém que é um segredo que ele não vai gostar de descobrir. 
“ Se tem uma coisa que eu aprendi com a playlist, é que ouvir as pessoas é importante. Gosto de pensar que estou ficando melhor nisso. ”
A Playlist de Hayden é a obra de estreia de Michelle Falkoff e de cara ela mostrou seu potencial e sua criatividade. Os capítulos são dividos pelos nomes das músicas da playlist que ele deixou para Sam e em algum momento do capítulo, ou o próprio nome da música ou sua letra vão significar algo. O trabalho da Novo Conceito em cima do livro está incrível, não comento sobre essa capa, afinal, só de olhar já sabemos que é linda. A obra é realmente boa, como disse no início, temáticas assim me chamam atenção e toda a leveza que Falkoff conseguiu levar para Sam fez com que eu caísse de amores pela história. 



Sinopse (via skoob)
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A Playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.


Trecho do livro
      [...] Era um sentimento estranho, como estar preso dentro de um bloco de gelo. Uma cena de Star Wars veio à minha mente, aquela em que Han Solo fica congelado em carbonita, com as mãos estendidas na frente do corpo como se, de alguma forma, ele pudesse se proteger, com a boca semiaberta em um protesto silencioso. Era uma imagem que Hayden sempre achou perturbadora. Ele dizia que ficava apavorado toda vez que a via, e ele tinha visto O Império Contra-Ataca umas cem vezes talvez. Eu assisti ao filme quase esse mesmo número de vezes, mas por algum motivo achava hilária toda essa coisa da carbonita, e era ainda mais engraçado ver o quanto aquela cena deixava Hayden inquieto. No seu aniversário, dei a ele uma capa de iPhone com uma imagem do Han Solo congelado e, sem que ele percebesse, coloquei alguns gelos no formato de Han Solo congelado dentro do seu refrigerante.
      Eu me lembrei da expressão no rosto dele e não pude deixar de rir, o que pareceu quebrar o feitiço. Conseguia me mexer novamente, apesar de não querer mais fazê-lo. O movimento significava que eu estava desperto, e estar desperto significava que Hayden estava realmente morto e eu ainda não me sentia pronto para admitir. E rir parecia ser algo errado, mas também algo bom, embora o fato de me fazer sentir bem também me faça sentir culpado, o que acaba por me trazer de volta a sensação de que tudo aquilo era mesmo errado. Sério, eu não sabia como me sentir. Triste? Correto. Fulo da vida? Com toda a certeza.
      O que você estava pensando, Hayden?[...]

2 comentários:

  1. Melhor livro da vida ♥ Acho que a história em si prende muito quem quer que seja. Os personagens acabam por nos identificar alguma coisa, por pouca que seja, e acabamos nos vendo vivendo o contexto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro incrível! ♥
      Exatamente isso, parece que passamos por tudo o que o Sam passa, nos sentimos dentro de cada capítulo.

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...