10 de fevereiro de 2016

Por onde andei: São Paulo

Me afastei do blog por um mês (ou quase, já que mesmo assim achava um jeito de postar toda semana alguma coisinha) quem me acompanha desde o ano passado já sabia que as férias iam acabar acontecendo e o destino foi São Paulo, exato, fui encarar o tumulto paulistano de perto. 
Mural com frases na Avenida Paulista.
Desembarquei em Guarulhos e de lá migrei direto para o bairro Jardim Paulista, onde de fato, seria "paulistana" por um mês. Tirei a sorte grande de me hospedar no Edifício Colúmbia (uma média de R$ 3.200,00 mensal o aluguel dos flets mobiliados) que ficava exatamente numa rua sem saída entre a famosa Pamplona e a Augusta, onde tem exatamente de tudo que se precisa e de praxe, fica a algumas quadras da Avenida Paulista, consequentemente também do metrô. Ufa, que sorte a minha. Em um mês andando por ruas paulistas poderia dizer que tive muito tempo de visitar tudo e qualquer lugar que me desse na telha, porém fui com um objetivo para lá que me fez priorizar outras coisas (o trabalho, bendito seja) e acabei por conhecer o básico, mas em contrapartida ter a experiência de morar numa cidade como aquela, o que de fato foi realmente incrível. 
Foto 1: Em frente ao Museu de Arte de São Paulo na Avenida Paulista.
Foto 2: Avenida Paulista, São Paulo.
Quando vi avenidas inteiras com muros pixados de cima a baixo, um ar carregado de impurezas e uma ambientação aparentemente suja deixei a expressão cair lá em baixo, mas depois de três dias realmente passei a me apaixonar cada vez mais por São Paulo. Para iniciar bem o ciclo mensal de viagem não poderia deixar de pisar pela primeira vez na avenida tão comentada e o primeiro ponto da rota obviamente seria a Avenida Paulista. Depois de caminhar um montão por tudo, entrar em shoppings e galerias da rua e conhecer o superficial chegou a hora esperada das que sempre viram no tumblr copinhos do Starbucks fazendo pose para fotos, pois é, onde eu moro mal chega Mc Donalds, quem dirá um Frapuccino daqueles, e que Frapuccino viciante. Não dá para viver sem depois de provar pela primeira vez.
Livraria Cultura em São Paulo.
Na Avenida Paulista encontrei algo mais a minha cara do que o café expresso do Starbucks, uma tal de Livraria Cultura, não sei se os leitores por aqui conhecem... Chega de ironia, vamos ao fato: aquele lugar é sinônimo do Paraíso!!! Não vou mentir, passei por lá umas boas vezes antes de vir para casa só para alimentar meus olhos com tamanha riqueza visual. A Livraria se encontra numa galeria (que não lembro o nome) em frente ao Shopping Center 3 e não é difícil de achar. Vale a pena a visita tanto pela diversidade enorme de obras quanto para arrumar um cantinho e folhear seu livro do momento, além do mais, tem até um café bonitinho lá dentro para passar o tempo. 
Bailarina de Quatorze Anos, Edgar Degas. Museu de Arte de São Paulo (MASP).
Também na Avenida encontramos um dos museus mais famosos da cidade e uma das mais importantes instituições culturais brasileiras, o MASP ou Museu de Arte de São Paulo que tem um design moderno incrível e um acervo de obras e exposições que vale muito a pena. O museu possui a mais abrangente e importante coleção de arte ocidental da América Latina e de todo o Hemisfério Sul, referentes as escolas Italiana e Francesa. Possui também uma extensa seção de Arte Brasileira e pequenos conjuntos de Arte Africana, Asiática, decorativa, peças arqueológicas, fotografia e moda. Para as bailarinas de plantão é ponto crucial dar uma olhadinha na Bailarina de Quatorze Anos do Edgar Degas, é maravilhosa. 
Trianon Parque, Avenida Paulista - São Paulo.
Logo pertinho do MASP tem uma área verde que o pessoal do ar puro (como eu) precisa visitar, o local se chama Parque Tenente Siqueira Campos, mas é mais conhecido como Trianon Parque e foi fundado em 1982 juntamente com a abertura da Avenida Paulista. O local é cercado de uma vegetação incrível, entrar no parque é como se sentir no meio da Mata Atlântica mesmo estando na euforia de São Paulo, é quase uma forma de fugir do mundo que a cidade grande oferece.
Casa das Rosas, segundo andar, sacada. Avenida Paulista - São Paulo.
Um pouco à frente encontramos a Casa das Rosas que recebeu esse nome por ter o mais belo jardim de rosas de São Paulo. O casarão foi projetado em meados de 1935, mas só em 1991 foi desapropriada pelo governo e tornou-se espaço cultural. Desde 2004 o espaço é administrado pelo poeta e professor Frederico Barbosa que fez do espaço Haroldo de Campos um local para amantes da poesia e da literatura. Aos escritores de plantão dar uma passada no local é quase obrigação, além de uma arquitetura bonita, um jardim de tirar o fôlego, cursos e projetos voltados à literatura ou exposições o local também abriga um café no jardim bem ambientado e ótimo para fugirmos de bloqueios criativos ou simplesmente passar o tempo.
Foto 1: Livro sobre a Casa das Rosas da biblioteca local
 Foto 2: Jardim da casa das rosas + doce japonês comprado no bairro Liberdade.

4 comentários:

  1. Amiga,
    adorei saber que é apaixonada por poemas e livros!
    Frases lindas....
    Escrevo há muitos anos também!
    Se quiser ganhar o meu livro 7,
    mande-me email com seu endereço e cep ou me adicione no face e falamos por lá!
    elyanelacerdda@gmail.com
    http://www.elianedelacerda.com
    obrigada pela visita ao meu blog, adorei o seu,linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo ver uma poeta e escritora por aqui, falarei com você em breve! Parabéns pelos escritos, são incríveis!

      Excluir
  2. Ai que amor essa postagem. Quando visitei SP foram apenas dois dias, mas posso dizer que foi incrível e que amei a cidade também, não deu para visitar tantos lugares e to apaixonada pelas tuas fotos. NÃO PROVEI STARBUCKS *chorando*
    cultura melhor livraria s2
    adorei *-* mil beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada Beca!!! <3
      Starbucks é criação divina, sério! hahaha
      a Cultura é linda, mds, o paraíso! <3

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...