19 de março de 2016

Sejamos mais humanos, por favor

O mundo às vezes me decepciona. As pessoas nele, na verdade, é que me entristecem. Anda tudo meio pacato se for parar para pensar, mas ao mesmo tempo tão frenético. Não se para mais para pensar nos próprios atos, os que param são meras peças especiais no meio de bilhões e esses carecem de mais pessoas de raciocínio igual ou parecido. Quem dera eu conhecer dez pessoas e conseguir tirar pelo menos uma para um bom papo, uma apenas que entenda os significados das coisas que faz para o mundo e para si. Alguém que não pense só no próprio orgulho, que pense no mundo, mesmo que ele esteja de cabeça para baixo.

Careço de gente com um pouco mais de empatia, daquele pessoal que vê além da cor dos olhos. Daquele tipo que abraça a alma numa conversa fiada que não é qualquer conversa. O mundo carece de gente com mais opinião interna sobre a vida, não necessariamente inteligentes, e sim sábios que penetram em si mesmos e criam suas próprias teorias existenciais. Pessoas que não sabem de tudo, mas buscam informações um pouco ali, outro pouco aqui ou lá. Gente sedenta por conhecimento, por se auto interpretar. Careço de pessoas com gosto pela vida, com uma pitada de essência humana.

Me decepciona ver tanta gente vivendo num teatro mal ensaiado, num roteiro rotineiro interpretado por mais outras milhões de centenas de marionetes. Como se existir equivalesse a viver e não somente à estar vivo. Pessoas que se abandonam vivendo a vida dos outros mesmo sem perceber, que se importam com as peculiaridades alheias mais do que com as próprias particularidades e se perdem nesse jogo de querer entender o outro antes mesmo de interpretar a si mesmas. 

Meio que cansei dessa jogatina imbecil de ser o coringa do jogo, a gente até tenta conversar, deixar subentendido as coisas, mas esse mesmo pessoal que não consegue dar valor à essência não consegue compreender que um pouco mais de si e menos dos outros faz falta no dia-a-dia. As pessoas estão cada vez mais vivendo para o mundo e menos para sua própria existência, o trabalho costuma ser o mais importante e quanto mais se ganha, mais se quer, mais se dedica, mais se esquece do mundo ao seu redor e se enxerga o próprio umbigo. E quando sobra um tempo ou se está estressado de mais ou simplesmente os assuntos são fúteis e desnecessários. 

Queria mesmo saber quanto tempo a raça humana, vulgo Homo Sapiens (Homem Sábio, do latim) vai durar com tanta gente metida a rei e rainha do universo. Se parássemos para ver o que acontece ao nosso redor e como as coisas podem ser melhores, ou pelo menos trabalhar a empatia, quem sabe metade de sete bilhões de pessoas poderiam ser realmente humanas. 

8 comentários:

  1. Olá!
    Que texto maravilhoso.
    Continue escrevendo sempre pois, você cativa as pessoas com suas palavras.
    Beijos lindona.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Vanessa! Fico sem palavras com o elogio! ♥

      Excluir
  2. Tenho o mesmo sentimento quanto ao mundo, as pessoas, as atitudes. Tá faltando amor, tá faltando empatia, tá faltando cuidado. Infelizmente a gente acaba se acostumando com a "falta", mas chega uma hora que dá vontade de jogar tudo pra cima e gritar, não dá? Quem dera o mundo melhorar.
    Texto lindo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fala Kelly, tá faltando muita coisa no mundo... mas o pior é quando a gente percebe que falta isso bem do nosso ladinho. "Quem dera o mundo melhorar", repito.
      Muito obrigada! ♥

      Excluir
  3. que texto mais lindo! concordo tanto com o que você disse; é tão raro encontrarmos pessoas que pensem um pouco mais nas outras pessoas e nas coisas do mundo do que nelas mesmas :( as pessoas estão interessadas nelas e só nelas! e se você é gentil, se você se importa um pouquinho com alguém, o tonto é você :/ parece que o mundo tá um pouco 'estragado".
    bom encontrar pessoas aqui na blogosfera que pensem assim (:
    beijos :*
    http://memorialices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estragado é exatamente a palavra, o mundo parece meio fora de validade já né? Na verdade não o mundo, mas as pessoas, a maioria delas pelo menos... como podem enxergar só a si próprias? Me deixa tão perplexa isso... Mas ainda há esperança, pessoas como nós que sabemos a importância da empatia podem ser band-aid do mundo! ♥

      Excluir
  4. Bom dia Gabrielle.. fostes bem a fundo no que escrevestes.. realmente está cada vez mais difícil de se conversar, de se encontrar alguém para parar um pouco e desligar, fazer diferente.. menos celular e mais olho no olho, as pessoas hj estão vivendo para a tecnologia e não para a vida.. almoçam, jantam com o celular não com o ser humano ao lado.. que continue com este pensamento pq ele te leva ao caminho certo sempre tenhas um feliz dia

    http://lapidandoversos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom receber o elogio de alguém que, ao que aparenta pelos textos, tem uma grande personalidade poética. Muito obrigada!
      Mesmo o mundo estando de cabeça para baixo a gente ainda tenta enxergar alguma esperança, não é? ♥

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...