27 de abril de 2016

Leio ou não?: A Filha do Norte #1 - Luisa Soresini

Autor: Luisa Soresini
Editora: Novo Século
Gênero: Fantasia
Páginas: 494 páginas.
Nota: ✰✰✰✰


Comecemos por um fato bastante importante relacionado à essa resenha: Luisa Soresini, se estiver lendo isso (e estará), saiba que mudou meu conceito sobre fantasia. Confesso que não sou fã do estilo, porém, volta e meia estou à procura de um que me faça mudar de ideia. Eis que surge a Luisa e me apresenta o seu mundo encantado dentro das páginas de A Filha do Norte. A obra conta a história de Michelle, uma menina que, à princípio, não se sabe as origens e o passado. Ela acaba indo parar numa vila onde uma senhora e uma criança a recebem (que na verdade são duas bruxas, Elza e Meredith). As bruxas transformadas lhe concedem um lugar para ficar e a ajudam, mas é quando no meio de uma tempestade que a pobrezinha vai parar numa mansão aterrorizante, onde mais personagens entram na história, os queridíssimos (ou nem tanto) Vergaminis.
"Controle bem seu tempo, Carl, ele um dia acaba."
E nessa hora que as coisas ficam interessantes, a autora deixa claro desde o início que os majestosos irmãos Vergaminis não são flor que se cheire, mas mesmo assim queremos ver Michelle caindo na farsa dos meninos: Danton, Ethan, Carl, Luka, Frank, Christofer e Wolf. No início achei meio confuso tanto personagem jogado para dentro da cabeça, mas aos poucos, quando a própria Michelle vai os conhecendo melhor, vamos nos acostumando e nos apegando a cada um deles em especial. Achei incrível o jogo que autora fez de não escolher a família como um único modo de ser, como se sabe logo em seguida, os Vergamini são monstros (tudo por causa de algo que virão a descobrir se lerem), porém cada um tem uma característica única, não seguindo um padrão do tipo: todos são vampiros ou lobos, ou qualquer outro. Cada um tem sua maneira de cativar e nos fazer lembrar sempre, inclusive de seus nomes na hora de fazer confusão na cabeça.
"Ela era realmente uma incógnita que eu ainda estava tentando desvendar."
O livro é todo escrito em primeira pessoa por cada personagem, se torna um pouco mais lenta a assimilação dos pensamentos de cada novo personagem por se tratar de uma boa quantia deles, mas logo a leitura flui. Uma curiosidade legal é que o livro não é dividido em capítulos, mas em cenas e isso torna a leitura um pouco mais rápida contrastando a observação anterior. A obra é cheia de morais escondidas, muitas partes nos fazem parar e pensar sobre como agimos e nos portamos, o que, de fato me chama muito a atenção, já que busco sempre uma essência de realidade em tudo. Demorei um pouco para começar a me apegar à leitura, entretanto depois que passei a conhecer os fundos da história não consegui parar.  Quero a continuação para ontem! (viu Srta. Luisa?) 
 Sinopse (via skoob):
Tudo começa quando Michelle e Meredith saem para ver as flores. Uma tempestade faz com que a bruxa perca Michelle de vista. A menina, desnorteada, sai em busca de ajuda e avista uma mansão enorme e antiga. Pensando que não mora ninguém na casa, Michelle entra no local para se abrigar e é surpreendida ao ser recebida por uma governanta tão sinistra quanto a casa, que a deixa com medo. Seu instinto lhe diz que há algo de errado, mas essa sensação passa quando entra na casa e se depara com um ambiente completamente diferente daquela fachada macabra que vira. O interior da mansão é maravilhoso, bonito e sofisticado, assim como os seus donos: os irmãos Vergamini. O que Michelle não imagina é que às vezes é necessário ouvir nossos instintos. Ela está em perigo e talvez nem suas amigas, Elza e Meredith, as bruxas do Leste e do Sul, consigam salvá-la.
Trecho do livro:
     "[...] - Essas são as flores da Luna - falou.
     - O... o quê? - gaguejei, chocada.
     - As flores que vocês estava querendo tanto ver são estas que estão na sua frente - ele repetiu e eu continuei olhando-as como se minha vida dependesse disso. - Acho que seu passeio não foi tão improdutivo assim!
     - Não, não foi. - Sorri, lembrando-me de uma coisa muito boa e muito antiga. Tinha uma pessoa que amava essas flores e eu prometi a ela que iria vê-las um dia. - Obrigada por me mostrá-las. Graças a você pude cumprir minha promessa. - Suspirei aliviada.
     - Promessa? - Frank estranhou.
     - Prometi a uma pessoa que iria ver essas flores. Agora, quando eu morrer, poderei ir tranquila... - falei sorridente.
     - São somente flores... - o de olhos exóticos, Wolf, falou, sentado no outro lado da mesa.
     Achei muito grosseiro da parte dele dizer algo assim. Mas, para quem não havia dito uma palavra sequer desde que eu cheguei, já era alguma coisa. Só que aquilo havia me deixado triste.
     - Você já as observou de perto? - Eu o encarei. - A pessoa a quem fiz a promessa me contou uma história sobre estas flores. Ela disse que, durante o dia, elas são as flores mais estranhas do mundo, pois têm uma cor feia e um aspecto ridículo, mas, ao anoitecer, revelam seu verdadeiro potencial e beleza. Quando ninguém as vê, são as mais belas de todas. Não para agradar os outros, mas a si mesmas. - Voltei a observá-las. - Elas podem ser só flores para você, que as vê todos os dias, mas para quem nunca as viu, como eu, elas são uma maravilha para os olhos. - Sorri e rele virou o rosto.
     E então um silêncio brutal penetrou na sala.[...]" 

9 comentários:

  1. Já li esse livro! Amo, amo e amo rs Adorei a resenha, você escreve super bem menina! Amei seu cantinho e to seguindo :)
    http://souadultaagora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, a Lu conseguiu me conquistar com esse livro! ♥
      Awn, muito obrigada flor!

      Excluir
  2. Own, quero muito ler esse livro!
    Só fico lendo as resenhas, kkkk
    Adorei a sua resenha por sinal! Escreve super bem! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, vale muito a pena!
      Awn, muito obrigada! *-*

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...