17 de maio de 2016

Entrevista com o autor: Luisa Soresini

A Luisa já foi apresentada por aqui como parceira do blog e seu livro lindo ganhou uma resenha à altura, mas tinha algo ainda faltando. Sim, isso mesmo, faltava uma entrevista cheinha de perguntas diversas para conhecermos mais da autora e de sua primeira obra publicada. Quem me acompanha para conhecer melhor essa escritora nacional de fantasia que chegou chegando? 

1. Escrever fazia parte de um sonho ou a vontade surgiu de uma hora para outra como se a personagem apenas lhe pedisse que escrevesse a sua história? Como tudo começou realmente?
R: Quando eu era bem pequena eu gostava muito de ver animes e desenhos animados. Então, com o tempo eu comecei a criar vários personagens meus, com base no que eu vi na televisão. Aos 9 anos, eu já tinha vários personagens desenhados e com enredos. Então quando eu tinha 15 anos, resolvi colocar suas histórias no papel.

2. A Filha do Norte é um livro fantástico, por que escolheu esse gênero literário? Como foi construir um universo todo novo?
R: É o gênero que eu mais gosto, porque eu posso criar tudo. Desde ambiente até os personagens. Não gosto de me limitar à realidade, é muito pouco para mim. Foi muito trabalhoso, mas valeu a pena, porque é completamente livre.

3. Os irmãos Vergamini nos mostram dois lados, o bom e o ruim, em questão de poucas páginas. Achei incrível a analogia de mostrar que todos podemos ter ambos os lados, basta saber qual querer mais para si. Porém, vemos que o Danton não quer se render muito à bondade. Como foi a construção desse personagem em especial?
R: Danton, por incrível que pareça é um dos meus personagens favoritos, justamente por causa da sua personalidade. Criar o Danton foi mais fácil do que mostrar sua evolução durante a narrativa. Ele é um personagem muito difícil de decifrar, você não sabe muito sobre suas atitudes e sobre o que ele pensa, eu tive que mergulhar muito dentro da sua alma para conseguir escrever sobre ele. 

4. O livro é repleto de grandes morais escondidas que nos fazem pensar sobre muitas coisas que acontecem. Quais foram as intenções como autora de nos proporcionar esses momentos de reflexão durante a leitura?
R: Acho que literatura também é aprendizado. Todos os meus livros querem passar alguma mensagem ao leitor e eu acho isso muito importante. Usar a literatura para causar reflexão nas pessoas.

5. Michelle é uma garota cheia de personalidade, às vezes um tanto ingênua, mas ao mesmo tempo dona de uma coragem imensa. Uma personagem como essa é um tanto marcante numa leitura, como foi a construção da protagonista? Quais as maiores inspirações?
R: Eu tenho várias protagonistas femininas. Quando eu pensei na Michelle, pensei em uma mulher que realmente escolhe o que quer fazer. Michelle ama limpeza, adora cuidar das pessoas, é uma verdadeira mãe, porém ela faz isso porque ela gosta e não porque é papel dela. Eu queria uma personagem feminina, fofa, mas ao mesmo tempo forte e capaz de decidir o próprio destino. Pensei muito em Jane Eyre, Sakura Card Captors, Merida e principalmente, na Sofie de Castelo Animado, do Studio Ghibli.
6. A Filha do Norte é seu primeiro livro, como sabemos hoje em dia há um espaço maior para escritores nacionais, mas mesmo assim ainda é difícil a publicação. Levando em conta isso, quais foram as maiores dificuldades como autora na publicação da sua primeira obra? Tem alguma dica para novos autores?
R: Encontrar uma editora foi uma tarefa difícil, até porque eu nunca tinha pensando em publicar este livro. Contudo, depois que fui procurando e me informando, ficou mais fácil. Acho que nós precisamos ser humildes, saber das nossas limitações e ter muita paixão pela sua obra. Se você não gostar ninguém irá gostar para você.

7. Como sabemos, os personagens trazem muito de nós mesmos. Entre você e sua criação, Michelle, quais são as principais semelhanças?
R: Michelle é uma personagem que está em processo de aceitação. Aceitar a si mesma e todos os seus defeitos. Eu já passei por esse processo e eu sei como doí. Nós nos tornamos próximas por causa disso.

8. Sabemos que toda obra é como um filho nas mãos dos autores. Se seu livro realmente pudesse saber o que você sente por ele, o que gostaria de dizer?
R: Filho, você não sabe como a mamãe tem orgulho de você. Você consegue levar um pedacinho de mim para cada pessoa que ler suas páginas. E ao mesmo tempo você prova para todos que nós podemos sim fazer o que gostamos e concretizar os nossos sonhos.

9. O livro se passa num universo de fantasia, mas e você, como autora, vive num universo fantástico em meio à realidade ou numa realidade em meio à fantasia?
R: Eu criei um lar para mim dentro das minhas histórias. Elas passaram a ser minha realidade também. Fantasia e realidade se mesclaram de uma forma imprevisível na minha vida.

10. A Filha do Norte é apenas o início, o que podemos esperar para o segundo livro?
R: Muitas aventuras, muitas lutas, muito lencinho de papel e um final para se guardar na memória.

Acompanhe a autora: 

2 comentários:

  1. Amei a entrevista flor, obrigada por me dá essa oportunidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, obrigada você por ter surgido na minha vida e me apresentado um mundinho novo em A Filha do Norte <3

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...