1 de fevereiro de 2017

Não deixe um escritor se apaixonar por você

Não. Nunquinha. Jamais se apaixone por uma pessoa que escreve se não quiser ser despido com o olhar mais profundo que vai conhecer. Não deixe um escritor se apaixonar por você, pois ele vai te decifrar, talvez, até mais que você pensa. É o tipo de pessoa que vai te observar de canto, meio disfarçado, cuidar dos seus incontáveis jeitos de sorrir diferente e atribuir cada um a um sentimento especial e assim, te descobrir nas linhas de expressão que nem você percebe.

Não se apaixone por alguém que escreva se não quiser ser reparado nos mínimos detalhes, se quiser deixar passar aquela maldita cicatriz de espinha na adolescência que ficou bem no meio do seu nariz, um escritor vai reparar mesmo que não comente. E vai fazer poesia do seu jeito torto de andar, da sua reboladinha inevitável ao caminhar, das suas cutículas roídas e até do desenho abstrato da sua íris. É inevitável e nada será mais justo que alegar licença poética para fugir de uma discussão. 

Não deixe um escritor se apaixonar por você se não quiser ser eternizado em milhares de textos soltos por aí e nenhum em especial totalmente direcionado à você. Não é de propósito, mas eles sabem que aquelas palavras que te descrevem precisam se encaixar em outros corações também. Não se apaixone por um escritor, é o único conselho que posso dar.

Não se apaixone se não quiser quebrar expectativas e viver fitando olhos com o brilho mais estranho que você verá, com entusiasmo no olhar. Escritores não param de pensar, não deixam de tentar poetizar mais do que uma folha de papel, não se contentam até não conseguirem levar todo o seu romantismo exagerado para a realidade. Vão criar metáforas cafonas, cenas caóticas e momentos marcantes esperando que tudo soe como numa cena de um livro de romance e você vai ser personagem das esperanças frustradas de diálogos frouxos que quase nunca ocorrem como o planejado.

Não deixe que um escritor se apaixone por você se não quiser receber palavras como presente em todos os momentos que soarem meio especiais e até quando nem momentos para se comemorar tiverem. Não se deixe levar pelo jeito maroto, pelo sorriso encantador e por aqueles calos nos dedos onde a caneta vive apoiada. Não se apaixone pelas palavras que parecem melodia em um conversa fiada, nem pelos conselhos clichês que chegam de mansinho para te fazer sorrir. Escritores te eternizam no papel, na vida, nos traços da própria alma.

Não goste tanto assim de um escritor se não suportar tanto café em um dia só, se não se sentir bem ao meio da noite só por se deparar com o cantinho da cama vazio e o feixe de luz do abajur na sala clareando os devaneios noturnos cheios de novas ideias que o obrigam a levantar e escrever.  Não deixe um escritor se apaixonar por você se não quiser que ele revele seus maiores segredos em linhas tortas disfarçadas de poesia, pois eles não vão esconder os detalhes do seu cabelo de espantalho ao acordar e muito menos a sua mania de coçar o bumbum que ficou marcado pelo tecido da poltrona da sala... escritores não encontram restrições, tudo é poesia. Acostume-se ou nem ouse conhecer esse mundo.

Não se apaixone por um escritor, eles tem uma ótima lábia e sabem te levar para onde quiserem ir só com o gostinho de palavras bem ditas. Abra bem os olhos para não cair cegamente nas frases bem formadas, porque a partir dali já não há mais volta. Não se apaixone por alguém que escreve porque pode ser que não queiram nunca escrever sobre você, queiram escrever apenas sobre os fatos do mundo. Não espere que um escritor te mande cartinhas por obrigação, pois a escrita é sagrada ao seu ver para ter que fazer por mal gosto.

Não deixe que um escritor se apaixone por você se não quiser se manter vivo mesmo após o fim, se não quiser que ele enxergue o seu lado bom em meio a tantos podres. Não se apaixone por um escritor se não quiser viver o bom do mundo visto de um novo ângulo, se não quiser ser poesia em mãos apaixonadas, se não quiser que linhas sejam insuficientes e palavras indescritíveis sobre tantos milhões de sentimentos. Não deixe um escritor se apaixonar por você, deixe-o, entre tantas exclamações, simplesmente amar você!  

4 comentários:

  1. "Não se apaixone por alguém que escreve porque pode ser que não queiram nunca escrever sobre você, queiram escrever apenas sobre os fatos do mundo." É engraçado que eu me reconheci nesse trecho. Isso porque nunca escrevi sobre um namorado que tive - mesmo ainda namorando -, mas escrevi sobre um carinha que nem conheci pessoalmente. Coisa de internet. A conversa foi tão mútua e se encaixava tão bem que acabou não dando outra. Eu queria mesmo é que um escritor se apaixonasse por mim. Imagina a beleza que se é perceber detalhes mínimos do outro e saber que ele também o faz? Imagina todas as cartas e poemas, contos e crônicas que trocaríamos como presentes? E a expectativa da resposta? Eu o deixaria me amar. <3
    Texto lindo, como sempre.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou bem dessas também, não escrever sobre quem tá do lado, mas sobre quem te encanta mundo a fora! Escritores são de outro mundo, me deixaria ser amada por um! ♥

      Excluir
  2. GENTE, preciso me apaixonar por quem escreve. Cansei de dar vida aos personagens, quero virar personagem também ♥ que coisa mais amor do mundo esse texto :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas! hahaha Você que é um amor Mafê, inspiração da vida! ♥

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...