19 de junho de 2017

Não subestime a mim

Quanto vale o seu sonho? Com tantos clichês e falas copiadas ali fora, só aprendi a valorizar minhas ambições com minhas experiências. Você retém o conhecimento das fontes, mas passa a entender mais tarde. Parece injusta a indecisão por antecedência, mas, como disse uma nova amiga minha, não temos, e não devemos ter, certeza de nada. 

Hoje mesmo, uma pessoa que nunca tive a chance de conhecer, mas já admiro, se formou em moda, minha (amada) área. Como ritual de todo formando, lá foi ela postar sua foto no Instagram (toga e sorriso vestidos). Logo abaixo, o famoso “textão”. Normalmente, curto a foto e rolo o feed, mas considerando minha (platônica) proximidade, decidi ler. Detalhe, em língua gringa. Assim como muitos que decidem seguir por esse caminho (design, comunicação ou negócios de moda), ela teve dificuldades. 

O fato é: convencer as pessoas próximas a nós dos sonhos que nem entendemos pode ser o momento mais difícil das nossas vidas. Principalmente se há dinheiro e distância envolvidos. Realmente, entender o valor e o potencial de um sonho não é algo que acontece “da noite para o dia”. Assim como amadurecer, criar o caminho que sua vida deve seguir é gradual. 

Ponho em pauta agora a fala da minha já dita amiga, Patrícia Rocha, para fazer o seguinte questionamento: Devemos duvidar até de quem somos? 

Tem quem afirme que estamos em constante mudança, e de fato estamos. Mas, até onde nos permitimos mudar? Devemos questionar nossas certezas? 

Quando escolhi por jornalismo de moda, me vi diante do beco sem saída da insegurança. O fato, que demorei para perceber, é que não eram dúvidas minhas, mas das pessoas à minha volta. Constatei que perguntas nunca surgiam da minha mente, mas de ruídos dos ao meu redor. Não era eu quem duvidava dos meus sonhos, mas aqueles que não os sonhavam. Passei a entender que temos o direito à certeza do que somos e do que queremos ser. Pelo menos isso, acima de tudo. 

Nossas experiências nos guiam e, adivinha essa, somos nós quem as escolhemos! Aprenda a escolher por aquilo que te apaixona, que te arrepia, que te eleva às mais altas expectativas. Conselho? Tenha calma também, disse uma ariana. 

Então, por favor amigo, não me subestime. 

Meus desejos e meus interesses são as únicas coisas emoções que posso chamar de meus. Se você valoriza minha sanidade, não espelhe suas dúvidas nas minhas certezas. Assim como você, quero meu lugar ao sol, que aprecio desde já. 

Muito obrigada.

- Paola Freitas -

2 comentários:

  1. Oii!! Sabe, acho que nao devemos nem nos dar ao trabalho de tentar “convencer” os outros quanto aos nossos sonhos. É nossa responsabilidade realizar o que queremos pra gente. É muito difícil as pessoas realmente entenderem o valor do que algo tem pra gente. Você com seu jornalismo de moda, a sua amiga gringa do IG ou eu com a Austrália.. HAHAHA Estamos todas na mesma, correndo atrás do que queremos e enfrentando os desafios devidos. Não me importo que me subestimem (inclusive dá mais gosto quando venço), mas a pessoa mais importante em que devemos acreditar somos nós mesmas. Bem vinda ao blog aqui, ainda não tinha lido voce aqui. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Rebeca, devemos acreditar em nós mesmas acima de tudo (e vencer é sempre a melhor parte) Beijos <3

      Excluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...