19 fevereiro 2019

A MEMÓRIA É FALHA AO TENTAR TE LEMBRAR

É estranho as memórias que a gente perde para o tempo, mesmo que em grande negação

Não queria esquecer teus fragmentos ou os pedaços da nossa história que foram se perdendo pela minha mente conturbada. Não queria perder a fonte de todas aquelas lembranças boas ao olhar para trás, e poder te materializar como se a distância entre nossos corpos fosse insignificante diante de uma imaginação forte. 

Nunca levei a sério essa questão do tempo ser o remédio para as coisas do coração, mas talvez ele seja e a gente nem precise ter noção disso de fato.


O tempo te levou de mim aos poucos, retirou o aroma das lembranças logo no início. Entre tantos corpos e perfumes nas ruas, passei a não reconhecer mais o teu cheiro por aí. Teve um tempo que era tão fácil te lembrar ao inspirar algo tão teu. Não importava quantos pulsos mais carregavam a mesma fragrância, aquele era o teu cheiro, o único que se perdeu da fronha do meu travesseiro...

De tempo em tempo o tempo te levou de mim, foi aos poucos, pedaço por pedaço arrancado de uma memória falha. Deixei de lembrar dos pesadelos, guardei bem longe pois não era esse o acervo da nossa história que queria destacar. Confesso que realmente nem lembro como eram os dias ruins do teu lado, o que guardei foi nosso lado bom.

Guardei minúcias tuas que quando encontro parecidas em outro alguém não consigo deixar de comparar. Teu jeito de levantar o lado direito da boca ao falar... que sempre fez com que eu tivesse ainda mais vontade de te encher de beijo, e eu lembro, era o que acontecia. Tua risada estérica quando fazia piadas intelectuais que mais ninguém entendia, mas eu ria junto pra te ver olhar pra mim com teu olhar semicerrado cheio de brilho.

Ah, mas há algo que o tempo não tirou de mim, talvez esse tipo de lembrança não possa ser arrancada nem por esse senhor todo poderoso aí. Teu "eu te amo" sussurrado jamais vai ser esquecido, mesmo em meio a outros milhões de "eu te amo's" que virão, o teu é minha lembrança favorita de nós.

Dizem que certos amores acontecem para nunca serem esquecidos, mas com as coisas que te lembro não preencho nem essas poucas linhas direito... contraditório não? Quem sabe seja o coração o único profissional do lembrar, pois na mente a materialização do sentimento só sabe se dissipar. 

O engraçado é que mesmo as memórias indo embora, o sentimento não faz as malas para ir junto. Houve um tempo em que existia conflitos emocionais, mas logo após essa guerra civil interna todas as emoções voltaram a ser o de sempre: amor. O nosso. Original e imutável de sempre. E esse desgraçado não sabe dizer adeus, não aprendeu com nossos corpos o significado da distância após o ponto final. 

A memória é falha ao tentar te lembrar, falha ao reconhecer aromas antigos, cores, jeitos, beijos ou formas, talvez porque o coração não queira a cópia barata das lembranças em nenhum outro alguém.  


- Gabrielle Roveda

2 comentários:

  1. Que texto maravilhoso. Não tenho mais nem adjetivos para expressar, só... Meus parabéns! Sua escrita é divina.

    Carinho, Nina
    www.entremcc.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seja mais do que bem-vindo!

Não esqueça de voltar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...